67 3384-6506

  • Spotify ícone social
  • Spotify ícone social

©2019 por VIDEOCIRURGIA.COM

Bem-vindo à VIDEOCIRURGIA

Dr Silvio Luis da Silveira Lemos

CRM MS 1930

Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo - RQE 460 / 1309

Cirurgia Bariátrica - RQE 5791 

Principais Cirurgias

Abordagem por Vídeo

 

Cirurgias do Aparelho Digestivo

Vesícula biliar (cálculo) - colelitíase
Refluxo gastroesofágico - hérnia hiatal
Esôfago, Estômago, Intestino

(Megaesôfago, megacólon, tumores, doença diverticular - diverticulite).

Cirurgia Bariátrica

Gastroplastias para Obesidade por Vídeo

Correção de Hérnias Abdominais

Hérnia inguinal, 

Hérnia umbilical,

Hérnia incisional

e outras

Surgery

Cirurgia Videolaparoscópica

 

Cirurgia mini invasiva

Vantagens da Videocirurgia

  • Rápida recuperação, propiciando breve retorno ao trabalho e ou atividades esportivas.

  • Menor dor pós operatória, diminuindo a necessidade de analgésicos.

 

  • Menor risco de infecção, diminuindo ou eliminando a necessidade de antibióticos.

 

  • Menor risco de formação de hérnia incisional, já que com pequenas incisões há um menor dano à parede abdominal.

 

  • Menor perda sanguínea, portanto menor possibilidade de transfusões.

 

  • Menor trauma, portanto menor risco de aderências (menor risco de obstrução intestinal futura)

 

  • Vantagem Estética, com cicatrizes mínimas ou imperceptíveis.

Cirurgia Videolaparoscópica

  • É uma abordagem cirúrgica da cavidade abdominal por meio de pequenas incisões com instrumentais cirúrgicos específicos e um conjunto de equipamentos constituído de: ótica laparoscópica, microcâmera, processadora de imagem, fonte de luz, monitor de vídeo e insuflador de gás. 

  

  • Realiza-se pequenas incisões (0,5 e 1 cm) ou até mini incisões (0,2 e 0,3 cm) na pele por onde serão introduzidos os trocartes. Trocarte é um dispositivo cilíndrico que permite a entrada e saída dos instrumentais laparoscópicos especiais (como tesouras, pinças, clipadores, grampeadores, etc.) além da ótica laparoscópica.

   

  • Uma fonte de luz externa é conectada à ótica por um cabo que transmite a luminosidade para o interior da cavidade abdominal possibilitando a visualização das vísceras.

  

  • A imagem recebida pela microcâmera é processada para poder ser reproduzida em um monitor de vídeo de alta resolução.

  

  • Assim, para se ter uma boa visualização das vísceras abdominais vários fatores são importantes, dentre os quais citamos: A) câmera com boa resolução de imagem; B) iluminação adequada da cavidade, que depende da fonte de luz e do cabo que conecta à ótica; C) criação de um espaço adequado na cavidade abdominal que é alcançado pela insuflação de um gás (normalmente o CO2), cuja pressão é regulada por um insuflador eletrônico. Neste item é importante o relaxamento adequado do paciente promovido pelo anestesista.

  

  • O gás insuflado no abdome é quase que totalmente removido ao término do procedimento, e uma pequena quantidade residual é rapidamente absorvida pelo organismo.

Indicações da Videolaparoscopia

CIRURGIA GERAL E DO APARELHO DIGESTIVO

   

A) Doenças da Vesícula Biliar (cálculos ou pólipos), são tratadas com Colecistectomia - Retirada da vesícula biliar;

   

B) Na Esofagite e Hérnia de Hiato, é realizado a Fundoplicatura e Hiatoplastia para tratamento do refluxo gastro-esofágico;

   

C) O Megaesôfago (dilatação do esôfago) pode ser tratado com a Cardiomiotomia;

   

D) As Úlceras pépticas perfuradas podem ser tratadas com rafia;  o Câncer Gástrico em casos selecionados pode ser tratato com gastrectomia, ou paliativamente com gastroenteroanastomose.

   

E) Na Apendicite, a apendicectomia pode ser realizada independente da fase da doença (perfurada ou não, com ou sem abscesso, com ou sem peritonite difusa), já que é possível a limpeza de toda a cavidade abdominal;

   

F) Doenças do intestino grosso e delgado (divertículos, pólipos, tumores) podem ser tratadas com colectomias, enterectomias;

   

G) Aderências abdominais que podem causar obstrução intestinal podem ser desfeitas com a videolaparoscopia;

   

H) Hérnias da parede abdominal, aqui incluem as hérnias inguinais e incisionais podem ser tratadas com hernioplastia (colocação de tela);

   

I) Doenças do Fígado (tumores, cistos e abscessos) podem ser tratadas com remoções ou drenagens;

   

J) Doenças do Baço ou Distúrbios Hematológicos podem requerer esplenectomia;

   

K) Abscessos abdominais, seja subfrênico, pélvico ou de outra localização, podem ser drenados;

   

L) Urgências Traumáticas, neste caso a videolaparoscopia é muito útil como método diagnóstico e eventualmente terapêutico (em pacientes estáveis).

   

M) Na Obesidade Mórbida, pode ser realizadas diversas técnicas de Cirurgias Bariátricas (intervenções realizadas no ap digestivo com objetivo de promover redução de peso).

CIRURGIAS GINECOLÓGICAS

    

A) Doenças do Útero (miomas, adenomiose) podem ser ser tratadas com miomectomias ou até mesmo histerectomias;

  

B) Doenças das Trompas (obstrução, hidrossalpinge, gravidez tubária, etc);

   

C) Doenças do Ovário (cistos e tumores);

   

D) Endometriose.

 

CIRURGIA UROLÓGICAS

    

A) Doenças da Próstata (câncer), pode ser realizada a Prostatectomia.

    

B) Varicocele,  C) Testículo Ectópico (orquiectomia)

    

D) Doenças Renais (Nefrectomias ou outros).

Método Diagnóstico

     

     Videolaparoscopia Diagnóstica pode ser utilizada nos casos onde o diagnóstico não está fechado como certos casos de dor abdominal de causa desconhecida (peritonites, tumores, hemoperitôneo) ou até mesmo quando existe dúvida ou incerteza se um ferimento por arma branca ou de fogo penetrou ou não na cavidade abdominal.

      

       Nos casos de tumores ou outras doenças como cirrose, pode-se realizar biópsias.

 
 

Vídeos Selecionados

 

Horário

 

Entre em contato

Rua São Paulo 205, Campo Grande-MS, CEP 79.002-270

 67 3384-6506